Homenagem – Cid Miranda

Copyright © 1998 Cid Miranda

Atualizado 2021

Dedico essa página a você, minha amada esposa, companheira de todas as horas com a qual tenho compartilhado tantos momentos felizes e situações nas quais precisamos tomar sérias decisões em parceria.

Essa página pertence a você, “esposa de minha mocidade” (Prov. 5:18 Tradução do Novo Mundo) a quem devoto meu amor, paixão e atenções desde 1978.

A foto abaixo clicou o momento mais pleno, intenso e feliz de minha vida em 31/07/1980:

 

“Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço; porque o amor é tão forte como a morte… Mesmo muitas águas não são capazes de extinguir o amor, nem podem os próprios rios levá-lo de enxurrada”. (O Cântico de Salomão 8:6,7)

Aos meus 18 anos, fiz essa poesia em Julho/1979, um ano antes de nos casarmos. Ela que revela o ardor de meu amor à minha “encantadora cabra montesa”. (Prov. 5:19 TNM)

Eu era que gostava de poesia e ansiava atrair as atenções de uma linda menina que na época, embora soubesse de meu amor por ela, não o correspondia, pois para ela, eu era apenas um rapaz “gordinho, baixinho de óculos sempre no fundo do salão do Reino” (como depois ela me confessou) e que tentava atrair as atenções da menina deslumbrante que viria a ser a “esposa de minha mocidade”. Finalmente consegui conquistar o coração dela e há mais de 40 anos, sinto-me muito feliz pelo tesouro estimado e valioso, meu Norte, essa mulher extraordinária a quem tenho amado, admirado e respeitado hoje e para sempre.

Claro que essa poesia composta por mim em 1978 se baseava na esperança de um governo divino a ser estabelecido na terra em “substituição aos governos perversos e anárquicos do mundo” e por isso as expressões que combinavam com a ideia de paraíso na terra:

BRISA, MELODIA D’ AMOR

Brisa fria na noite calma,

Sussurra um forte hino d’alma

No silêncio, na escuridão,

Como uma distante melodia

Como um canto que preludia

As maravilhas que chegarão

******

E quando um novo amanhecer

De ruínas do mundo nascer

Não haverá sombras no ar

Nem trevas da noite fria

Que tanta tristeza balbucia

Em sua balada crepuscular

******

Ah, princesa, ai, quem me dera!

 Se numa eterna primavera

 Puder abrigar-te nos braços,

 Minha menina, Que alegria!

 Sonhar-te musa de poesia

 Nos meus beijos e abraços!

 ******

 E numa vida eterna florida,

 Quero-te sem manchas da vida

 Na estrada onde eu andar,

 Quero beijar tua face sem prantos,

 Desejo ouvir-te em cantos,

 Para poder te acompanhar.

 ******

 Minh’ alma… Que inf’licidade!

 Às portas desta eternidade,

 Pranteia pelo teu amor,

 Nesta brisa de noite fria

 Que entoa distante melodia

 Que há pouco minha musa entoou

 ******

 Mas nos céus há de existir

 Um lindo sol para persistir

 Brilhando em teu meigo olhar,

 Como raios de esperança

 Compasso de uma eterna dança

 Que contigo quero dançar!

 **********************************************************

Algumas fotos abaixo são de 1980 (casamento) e 2020 (40 anos depois, casados e felizes ao lado de nossos filhos amados):
31/10/2020
2017, Natal em Fortaleza.
2018 – Silene, Joel e Cid, França
2019, Priscila e Cid, EUA
2018, Londres, Inglaterra
Meus filhos amados em 2019, Fortaleza
Meus filhos lindos em 2014, EUA
Agora fora da organização TJ há exatos 22 anos, depois do grande desapontamento religioso com aquela que foi nossa adoração por mais de 20 anos* (1977 — 1998, estudo + batismo), estamos muito felizes e em paz com nossas consciências diante de Deus e dos homens. (*Essa atualização é de outubro de 2020).
Nosso alerta hoje em dia é sobre o perigo do inteiro curso de uma vida sob o jugo de um punhado de homens americanos, presunçosos e autoritários, cuja cartilha é puramente de fabricação humana. 
Que cada Testemunha de Jeová que chegou até aqui nessa página, não tenha medo de também sair dali para começar a viver bem melhor, sem as culpas e os medos infundados implantados na mente (“morrer no Armagedom, ter orações impedidas, perder amigos organizacionais, perder a vida eterna, ficar sem chão”, etc). Todas essas ameaças são apenas parte de métodos de chantagem emocional-espiritual e táticas intimidatórias que a organização da Torre de Vigia produziu para controlar e fidelizar seus membros.
É tudo uma programação mental intensa, opressiva e limitante! Fuja disso tudo!
Que você, leitor, descubra como é maravilhoso ser realmente feliz fora dessa organização, ficando bem distante do asfixiante sistema de crenças de fabricação puramente humana do Corpo Governante, a agência de informações TJ que alega ser o único “canal de comunicação de Deus na Terra.”
Minha atleta linda de Vôlei e eu, no final de 2019, super felizes, viajando por aí…
2018, Jericoacora, Ceará
2018, em Lisboa, Portugal
2017, em João Pessoa, Paraíba
2019, em Florianópolis – Santa Catarina